Jump to content
Stake Forum

Carollzinha

VIP
  • Content Count

    830
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    3

Carollzinha last won the day on September 21 2018

Carollzinha had the most liked content!

About Carollzinha

  • Rank
    Don't overthink

Player Details

  • Username
    Caroll
  • Wagered (BTC)
    2.97303229
  • Wagered (ETH)
    0.62243589
  • Wagered (LTC)
    0.05164552
  • Wagered (BCH)
    0.04167397
  • Wagered (DOGE)
    96,977.55544

Recent Profile Visitors

3,282 profile views
  1. Na tarde da última quinta-feira, 13 de junho, o Google realizou uma publicação que consistia em falar sobre como o sistema de armazenamento em nuvem da empresa poderia conectar-se à uma blockchain por meio de contratos inteligentes, criando uma aplicação híbrida. Chainlink foi a plataforma escolhida para fazer a ponte entre ambas tecnologias, mencionada no documento. A Chainlink é um serviço descentralizado, cujo objetivo é conectar contratos inteligentes e dados do mundo real. Tendo em vista que blockchains não conseguem acessar dados de fora de suas redes, “oráculos” são necessários para alimentar tais contratos inteligentes com dados. Os oráculos, por sua vez, fornecem dados externos (como clima, temperatura) que ativam contratos inteligentes após condições pré-estabelecidas serem atendidas. Participantes da rede Chainlink são incentivados a fornecerem contratos inteligentes com acesso aos dados externos. Caso um usuário queira acessar um dado externo, ele pode solicitar um contrato na rede Chainlink – como se fosse uma espécie de livro de pedidos. O contrato então passa a agregar os dados para o usuário, que obterá os resultados solicitados. Após o anúncio do Google sobre a solução híbrida por meio da qual é possível captar dados externos com armazenamento em nuvem e blockchain, a Chainlink deu um salto. Apenas quatro horas após o anúncio, o token valorizou quase 50%. Em duas horas após o anúncio, o token chegou a valorizar 65%. Conforme o analista e trader Alex Krüger ressaltou em seu Twitter: Posteriormente, Krüger corrige a valorização, que foi de 65%. Além da Chainlink, os contratos inteligentes do Ethereum foram mencionados na publicação – contudo, o valor da maior altcoin do mercado não sofreu grandes alterações com a notícia. Notícia na integra no site Guia do Bitcoin: https://guiadobitcoin.com.br/google-chainlink-ethereum-blockchain/ Notícia no site da Google Cloud: https://cloud.google.com/blog/products/data-analytics/building-hybrid-blockchain-cloud-applications-with-ethereum-and-google-cloud
  2. O famoso especialista em cibersegurança John McAfee acaba de lançar uma plataforma de negociação de criptoativos. Nomeada “Magic“, a plataforma se intitula um site onde os usuários podem “negociar criptomoedas em várias exchanges por um único painel, automática e manualmente”. Conforme mostrado em matéria no site Coindesk, a Magic parece ser não-custodial pois os criptoativos dos usuários permanecem guardados em suas contas nas exchanges. Quando uma negociação é executada, os fundos são transferidos dessas contas para que a transação seja concluída. Para configurar isso na Magic, os usuários precisarão conectar APIs das exchanges nas quais operam. Dois tipos de serviços (denominados “portais”) estão em oferta, um para negociação normal e o outro, intitulado “shadow trading”, no qual as negociações de um usuário serão definidas para copiar aquelas feitas por traders de nível profissional, que são “classificadas pela comunidade por seu sucesso comercial”, afirmou McAfee em uma postagem no Twitter. Alguns dos outros recursos incluem a capacidade de “definir e esquecer”, que servem para definir ordens de compra e venda ao mesmo tempo. Os usuários também podem usar a plataforma para fazer negociações automáticas. Não há restrições de jurisdição sobre quem pode usar a exchange, o que indica que ela está liberada para clientes de todo o mundo. Sobre a segurança oferecida, a seção de perguntas e respostas da Magic diz que o site está hospedado em servidores Amazon Web Service (AWS) de “alto nível”. Ela também fala em proteção contra DDoS e capacidade de ganhar “escala sob demanda”. O site também diz: No entanto, a plataforma Magic parece ter enfrentado um ataque DDoS antes mesmo do lançamento. Em um tweet feito na quarta-eira, 12 de junho, antes de seu lançamento, John McAfee brincou: O anúncio da Magic veio menos de 10 dias depois que McAfee revelou que lançaria uma criptomoeda apelidada de “McAfee Freedom Coin” ainda em 2019. No entanto, a Freedom Coin não parece ter relação com a operação da Magic, pelo menos não ainda. O site da Magic diz que usará o ARB, um token ERB-20 de um projeto chamado Arbitraging.
  3. Um pedido na Câmara dos Deputados para que os dois projetos de lei que pedem a regulamentação das criptomoedas no Brasil, 2060/2019 e 2303/2015, ambos propostos pelo Deputado Federal Áureo Ribeiro (SD-RJ), foram protocolados pelo Deputado Federal Eduardo Cury (PSDB-SP) na sessão no plenário da Câmara, no último dia 13 de junho. Cury sugeriu a discussão conjunta dos projetos por meio da apresentação do Requerimento n. 1746/2019. Segundo o documento, ambos projetos tratam, basicamente, das mesmas coisas e, com o intuito de impedir que a Câmara possa tomar duas decisões diferentes para projetos que tratam do mesmo assunto, o deputado pediu a análise conjunta. No momento os projetos aguardam a definição de uma Comissão Especial para analisar suas propostas. O requerimento de Eduardo Cury foi apresentado ao plenário e ainda precisa ser aprovado. Será que dessa vez vai?? 🤔🤔🤔
  4. Did anyone guess it right so far @Steve? 🤔
  5. Tone Vays, trader norte-americano e ex-executivo de Wall Street, destacou que não acredita ainda que chegamos ao fim do período de baixa do mercado de criptoativos e apontou, em entrevista à Cointelegraph, que ao contrário do que têm dito inúmeros especialistas, o Bitcoin cairá próximo de US$2 mil até a metade de 2024. Vays chegou a propor uma aposta de US$250 mil ou o equivalente em BTC para provar sua convicção sobre o futuro do preço da principal criptomoeda do mercado. Para ele, a recente valorização do mercado não é sustentável pois foi movimentada por fatores ainda não tão claros que podem ser muito artificiais. Segundo ele, não foi observado “dinheiro novo” entrando no mercado neste período, sem referência a novos investidores que teriam aplicado seus recursos em criptomoedas. O consultor de blockchain argumentou que o recente revés após longo mercado de baixa teria sido suportado por capital interno, dizendo que não existem evidências de acumulação suficientes por parte daqueles que preferiram manter suas criptomoedas em vez de vendê-las. No entanto, apesar de sua posição não ser das mais otimistas, Vays recomenda que em termos de investimento, “todos deveriam possuir algum Bitcoin”. Sobre a aposta de que o preço do BTC pode chegar abaixo de US$2 mil, Vays disse que isso é improvável agora (embora seja possível), mas que o futuro pode não reservar uma valorização tal qual tem sido proclamada por outros analistas. Enquanto Vays mantém seu pessimismo em relação ao preço do BTC, Josh Rager, analista técnico de criptomoedas e investidor, disse que, com base na tendência de preço do Bitcoin desde 2011 e no padrão de recuperação da criptomoeda após uma alta histórica, o Bitcoin pode atingir uma nova alta histórica em 2023 e bater até US$150 mil. Entrevista para a Cointelegraph:https://br.cointelegraph.com/news/former-wall-street-exec-tone-vays-there-is-no-evidence-that-the-crypto-winter-is-now-over
  6. Originalmente descoberta em abril, uma falha de segurança está sendo usada por hackers para instalar mineradores de criptomoedas em servidores da Oracle. Usando arquivos de certificação fraudados, os criminosos seriam capazes de evadir a vigilância de softwares de segurança como firewalls e antivírus, utilizando scripts para gerar o dinheiro virtual a partir da infraestrutura comprometida, sem que fossem detectados. Apontada pelos especialistas da Trend Micro, a brecha estaria localizada nos servidores WebLogic da Oracle, que fornecem serviços voltados a aplicativos. Uma vez embutida nos certificados, a praga é capaz de usar uma ferramenta de decodificação para se renomear, executando um script que baixa e executa o minerador de criptomoeda. O arquivo de certificação original é deletado após esse processo. Ninguém sabe ao certo o número de servidores infectados nem se alguma quantia efetivamente considerável foi obtida pelos hackers, que estavam utilizando a infraestrutura para minerar Monero. A brecha já foi corrigida pela Oracle, que liberou atualização para resolver a questão e evitar que novos certificados maliciosos sejam lídios e instalados nas máquinas. O código do patch é CVE-2019-2725 e a recomendação é que todos os administradores de sistemas apliquem a correção o mais rapidamente possível. Entretanto, de acordo com a Trend Micro, a atual infecção pode ser um meio, não um fim. O método utilizado, com a ofuscação de um script que solicita o download de updates não ocultos, pode estar servindo como uma espécie de testes para os criminosos, podendo representar uma porta de entrada para novas infecções com malware em algum momento futuro. A colocação de pragas em certificados ou outros arquivos insuspeitos vem sendo cada vez mais uma arma dos hackers para mineração de criptomoedas. Arquivos do Excel com macros e atualizações maliciosas para aplicativos ou infraestruturas inteiras são apenas alguns dos vetores para ataques desse tipo, com os usuários ou administradores apenas percebendo que algo está errado quando notam um uso exacerbado de recursos da rede ou do hardware. Mas essa não é a primeira vez que os servidores Oracle WebLogic são alvo de explorações desse tipo. Em janeiro, hackers foram capazes de minerar US$ 226 mil também em Monero utilizando uma brecha parecida, que permitia a instalação de softwares na infraestrutura. Além disso, a brecha, já solucionada pela fabricante, também permitia a execução de códigos maliciosos que dariam aos invasores controle total sobre a máquina.
  7. Através de seus famosos e polêmicos tweets, John McAfee, expert em segurança cibernética, prometeu revelar esquemas de corrupção por parte do governo americano. Durante o final de semana o clima literalmente esquentou, numa polêmica que merece ser acompanhada de perto pela comunidade de criptoativos. O especialista em segurança, e fundador da McAfee, John McAfee, novamente movimentou o Twitter, dessa vez disparando sua artilharia contra o governo americano. Em seu perfil na rede social, o bilionário se diz perseguido e alega que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos vem compilando um falso processo contra ele, com acusações por por lavagem de dinheiro, extorsão e assassinato. Na sequência, McAfee dispara uma série de tweets, em que cita autoridades e atividades envolvidas no processo de perseguição contra ele. A principal intenção, de acordo com o expert em segurança cibernética, é destacar o protagonismo do Bitcoin e conscientizar as pessoas sobre a importância de se libertarem da importância de se libertar do opressivo controle governamental. “Liberdade para o meu povo é o meu único objetivo, afirmou McAfee. Já na segunda-feira soltou o seguinte tweet: CURIOSIDADES: Um fato curioso sobre a série de posts recente é que ela vem depois de uma outra chuva de tweets, em janeiro de 2019, com textos em que McAfee afirma não ter declarado impostos nos últimos 8 anos. Os motivos passam pelo executivo considerar a tributação ilegal, achar que falta reversão em serviços e alegar que acabou de ganhar dinheiro, tendo a McAfee a garantia de dinheiro para viver. O polêmico especialista em segurança cibernética também se lançou candidato à presidência dos Estados Unidos com o controverso slogan “Não vote em McAfee”. Isso porque, na sua opinião, nem ele, nem outro político qualquer, tem soluções para os grandes problemas americanos.
  8. Um caixa eletrônico localizado em Londres, e que oferece opções de compra e venda de Bitcoin e outras criptomoedas, começou a “cuspir” dinheiro para dentro de uma mala em um shopping na cidade. Um vídeo do acontecimento tem sido espalhando nas redes sociais e nele, um segurança está fazendo o melhor que pode para impedir que alguém pegue o dinheiro além do suposto investidor que apenas assiste ao dinheiro ser jogado dentro de sua mala. Segundo informações no Reddit, um mix de “falha” e uma venda além do esperado resultaram no acontecido. Um cliente supostamente teria se dirigido ao caixa para vender uma quantidade elevada de Bitcoin (o valor não foi revelado), e o caixa, por sua vez, continha apenas notas de pequeno valor e quando teve de “liberar” o valor solicitado, sofre uma pequena pane e começou a “cuspir” as notas, de acordo com Adam Gramowski, proprietário e diretor executivo da empresa que opera o caixa eletrônico. Nas redes sociais, foi levantada a hipótese do caixa eletrônico estar infectado com uma falha de “jackpotting” (um malware de caixa eletrônico que faz com que as máquinas “cuspam” dinheiro), mas a suspeita foi negada por Gramowski. Não é a primeira vez que este caixa eletrônico tem um comportamento estranho, há cerca de um mês, o equipamento teria gerado um problema e exibido uma chave privada de Dash na tela. Mas, tal como a apresentadora, no vídeo, disse, o que aconteceria se fosse no Brasil? Respeitariam? Ou o povo ficaria "doido" e "cairia matando" pra tentar embolsar alguma notinha?
  9. O fundador da Tron (TRX), Justin Sun, já foi rotulado com diferentes títulos pela comunidade de criptomoedas. De gênio até golpista, existem muitas opiniões sobre como este jovem empreendedor influencia o ecossistema – contudo, todos reconhecem a habilidade que Sun tem para relações públicas. Conforme relatado pelo Ethereum World News, o interesse pelo nome “Justin Sun” decolou no Google Trends, atingindo picos históricos. Agora, Sun não é apenas a personalidade do mundo das moedas digitais com maior número de seguidores, como também é o líder de projetos em blockchain mais buscados. De forma semelhante, o termo “Tron TRX” também experienciou um súbito aumento no interesse da comunidade, superando até mesmo as buscas por Bitcoin, Ethereum, Ripple e Bitcoin Cash, todas as criptomoedas com valor de mercado acima do token TRX. Sua última ação foi oferecer quase US$5 milhões em um leilão para almoçar com Warren Buffett. Embora o dinheiro seja doado à caridade, a oportunidade de negócios parece ter valido. Warren Buffett é conhecido pelo seu sucesso no mercado financeiro, mas também pela sua aversão às criptomoedas. Nas ocasiões anteriores, ele as chamou de veneno e ilusões, além de ser cético acerca dos benefícios que a adoção de criptoativos pode trazer ao mundo das finanças. Contudo, Justin Sun não perdeu a oportunidade para “investir” estes US$4,5 milhões em um almoço que talvez não mude a opinião de Buffet, mas que com certeza deu uma massiva exposição da Tron a um conglomerado de usuários que podem não estar familiarizados com as criptomoedas. Pagar tanto por um almoço com um homem que praticamente despreza toda a indústria foi uma decisão que não passou despercebida pela comunidade dos criptoativos. Muitos usuários das redes sociais apresentaram suas opiniões, criticando ou elogiando Justin Sun. Dentre aqueles que acreditam que este encontro pode gerar resultados positivos estão pessoas como Misha Lederman, Max Keiser e Ran NeuNer, que acreditam que Sun teve uma grande ideia que pode beneficiar o mercado de criptoativos no geral: Contudo, nem todos possuem uma visão otimista deste evento. Whale Panda, Crypt_Bobby e Moon Overlord, celebridade da área de criptoativos do Twitter, acreditam que Justin Sun gerará uma imagem negativa do ecossistema:
  10. WHEEL: 6,291,057,218 placed by Caroll on 10/06/2019 Wagered 0.00000100 Multiplier 49.5x Profit 0.00004850 WHEEL: 6,291,057,634 placed by Caroll on 10/06/2019 Wagered 0.00000100 Multiplier 49.5x Profit 0.00004850
  11. BLACKJACK: 6,289,593,256 placed by Caroll on 10/06/2019 Wagered 0.00000100 Multiplier 2x Profit 0.00000100 BLACKJACK: 6,289,596,417 placed by Caroll on 10/06/2019 Wagered 0.00000100 Multiplier 2x Profit 0.00000100
  12. You guys sucks, you can't beat the 350x Keno Queen
  13. Estive falando com @luizoruivo, essa manhã, sobre o quão fantástica achei essa matéria e relatei o meu interesse de copiar ela na integra para o fórum. Espero que nossa comunidade também possa ler e entender os reais motivos pelo qual resolvi postar sem edições ou adições. Quedas de 5% no Ibovespa impressionam, mas o mesmo desempenho em moedas como o bitcoin são mais normais do que arroz com feijão Como um investidor de longo prazo tanto do mercado tradicional quanto do mercado de criptomoedas é normal viver um sentimento dúbio com relação a oscilações de ambos os mercados. Quedas de 5% no Ibovespa me fazem ficar preocupado e curioso para entender o que aconteceu. Por outro lado, quando o mercado cripto perde 15% de market cap, considero isso apenas uma segunda-feira normal, apesar de um pouco chuvosa. É como viver em meio a absurdo atrás de absurdo e não se espantar com nada. Como brasileiro você também já deve ter perdido a capacidade de se impressionar com o que acontece por estas terras. Mas os disparates relacionados às criptomoedas vão além desses que acabei de mencionar. O investidor americano Tim Draper, por exemplo, está convicto de que o bitcoin poderá chegar a valer 250 mil dólares em um futuro próximo. Absurdo? Pois bem, em 2014 esse mesmo Draper foi a público falar que até 2018 o bitcoin chegaria à marca de 10 mil dólares. No momento da entrevista, o bitcoin valia algo em torno de 600 dólares. Ele errou simplesmente porque não disse algo ainda mais absurdo, pois já em 2017 o bitcoin alcançaria a marca dos 20 mil dólares. E da mesma forma que você pode achar essa previsão de 250 mil dólares por unidade do bitcoin absurda, a repórter que entrevistou Draper em 2014 e o mundo acharam também. Mas, como afirmei aqui, parece que os absurdos nesse mercado são a mais absoluta normalidade. Quando você acharia que os fundos patrimoniais das principais universidades norte-americanas estariam investindo nesse mercado? Absurdo. Alguns anos atrás você apostaria que a Fidelity, uma das maiores empresas do mundo dos investimentos, com mais de 7 trilhões de dólares sob gestão, criaria uma divisão inteira de ativos digitais? Absurdo. Google, Facebook, Amazon, Samsung e Apple seriam capazes de fazer movimentos em favor desse mercado? Outro absurdo. Pois é, eu não culpo ninguém que achasse isso um disparate alguns anos atrás, mas a partir de agora você já deveria ter se acostumado com esses absurdos. Bitcoin a 250 mil dólares é um absurdo, mas, por essas terras de cripto, esse é o normal. Matéria de André Franco para o site seudinheiro.com; https://www.seudinheiro.com/absurdo-atras-de-absurdo-o-dia-a-dia-das-criptomoedas/
×